• Fábio Henrique Araújo

Saúde 4.0 News - edição #83

Resumo semanal de notícias sobre Tecnologia, Inovação e Gestão na Saúde 4.0






1) Robôs de telepresença são usados em mais de 11 mil atendimentos de Covid-19

Desde março, o Instituto Central do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP está usando três robôs de telepresença para apoio a pacientes de Covid-19, que já realizaram mais de 11 mil atendimentos. Na triagem do ambulatório foram 10.560 atendimentos em nove meses (março a novembro). Já na enfermaria do hospital, 720 em três meses (abril a junho), e no pronto socorro 264 (maio e julho). Os robôs também foram usados na UTI e nas ações de entretenimento com o Palhaço Osório (Giba Rizzo).


Mês passado, foi oficializada a entrega de cinco robôs pela Pixeon, empresa brasileira de tecnologia e inovação para saúde, em parceria com a Pluginbot, que viabilizou a usabilidade dos robôs dentro do HC. Os equipamentos permitirão que os médicos da unidade realizem atendimentos aos pacientes com Covid-19 usando recursos de telepresença, além da oportunidade de viabilizar soluções que permitam criar benefícios tangíveis nas experiências de uso médico, assistencial, hospitalar e paciente. (...) (Fonte: Portal Hospitais Brasil)




2) Dasa desenvolve novo método para exame PCR para Covid, com amostra de saliva e autocoleta



O grupo Dasa desenvolveu um novo método de coleta para o exame RT-PCR que pode ser feito em casa e sem a necessidade de um profissional do laboratório — aumentando a capacidade de testagem em um momento de alta na contaminação da Covid-19 no país. Pelo novo método, a coleta do exame que detecta a presença do novo coronavírus no organismo é feita a partir de amostras de saliva, dispensando o uso do swab, espécie de cotonete usado para coletar amostra de mucosa no fundo do nariz e da garganta. O novo exame pode ser coletado pelo próprio paciente, em casa, e tem sensibilidade próxima ao RT-PCR por swab.


É uma inovação importante neste momento de aumento de casos da doença e que vai permitir ampliar a nossa capacidade de coleta, com uma alternativa que causa menos desconforto — diz Carlos de Barros, CEO da Dasa. — Trabalhamos muito tempo em um teste clínico para ter certeza de que teríamos uma sensibilidade similar ao chamado padrão-ouro. (...) (Fonte: O Globo)



3) Reguladores europeus aprovam vendas do primeiro coração artificial


O cirurgião e inventor de válvulas cardíacas Alain Carpentier propôs o desenvolvimento de um coração artificial ao industrial francês Jean-Luc Lagardere em 1993. Lagardere colocou alguns laboratórios e engenheiros de sua empresa de mísseis Matra à disposição de Carpentier e o projeto se expandiu ao longo dos anos, inclusive através do fusões que levaram a Matra a se tornar parte do que agora é o Airbus SE. A fabricante de aviões é o maior acionista da Carmat , com 13% de participação, enquanto a Carpentier possui cerca de 5,3%.


Demorou 10 anos para a Carmat obter a marca CE, e "é um recorde, dada a complexidade de tal dispositivo", disse o CEO da Carmat, Stephane Piat, em entrevista à televisão BFM Business. “Teremos que trabalhar com médicos e centros médicos agora para oferecer nossa terapia e teremos que procurar pacientes. A fase de produção será delicada.”(...) (Fonte: Bloomberg)

6 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

©2019 Todos os direitos reservados. Consultório 4.0