• Fábio Henrique Araújo

Saúde 4.0 News - edição #60

Resumo semanal de notícias sobre Tecnologia, Inovação e Gestão na Saúde 4.0






1) MIT desenvolve sensor wireless para monitorar pacientes com COVID-19 em casa


A pandemia do COVID-19 apresentou um desafio sem precedentes para os profissionais de saúde. Entre os principais desafios estão as questões de distanciamento social, que exigiram novas abordagens para diagnosticar e tratar doenças. Para muitos que já testaram positivo, ficar em casa é a melhor opção para evitar um sistema hospitalar já sobrecarregado em muitas áreas e para evitar a infecção de outros. A questão, então, é como médicos e enfermeiros podem continuar a fornecer tratamento remotamente com as limitações pronunciadas da telemedicina.


O CSAIL do MIT nesta semana lançou alguma luz sobre os ensaios em andamento que está sendo conduzido em um novo dispositivo projetado para acompanhar os pacientes em sua casa. O sistema de adesão superficialmente se assemelha a um roteador Wi-Fi, montado na parede do paciente. Utiliza sinais sem fio para detectar uma ampla gama de atividades diferentes, incluindo movimentos do paciente, padrões de sono e até - mais crucialmente - respiração. Emerald é capaz de distinguir entre pessoas diferentes, usando inteligência artificial para rastrear o movimento. (...) (Fonte: Tech Crunch)




2) Robô realiza experimentos enquanto os cientistas estão em isolamento social


Um robô que geralmente é usado em fábricas de automóveis foi reprogramado para testar amostras e realizar experimentos em laboratório durante a pandemia de coronavírus. Segundo pesquisadores da Universidade de Liverpool, o assistente automatizado que custou 100 mil libras (cerca de R$ 674 mil ) foi alocado no laboratório da instituição, onde recebe ordens remotamente dos pesquisadores - que estão cumprindo as medidas de isolamento social em casa.


De acordo com os pesquisadores, o robô consegue ser significativamente mais eficiente que um humano, realizando até 700 experimentos em uma semana - o mesmo número que um aluno pode concluir ao longo do doutorado, em uma comparação simples.Ele também é capaz de trabalhar de forma autônoma, aprendendo com seus resultados, refinando os experimentos e tornando as descobertas científicas 'mil vezes mais rápidas', contam. (...) (Fonte: Época Negócios)




3) Startup ajuda a baratear teste molecular de COVID-19


Considerado o padrão-ouro no diagnóstico da COVID-19, os testes de RT-qPCR (transcrição reversa seguida de reação em cadeia da polimerase quantitativa, na sigla em inglês) são realizados hoje, em sua maioria, em um modelo chamado singleplex, em que material genético do vírus SARS-CoV-2, extraído de amostras de secreção do fundo da garganta ou do nariz dos pacientes, é processado em quatro tubos, com diferentes marcadores de detecção. Esse procedimento torna o exame caro e demorado, limitando a aplicação, avaliam especialistas. Por meio de um projeto apoiado pelo Programa FAPESP Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas (PIPE), a startup Cellco Biotec, estabelecida em São Carlos (SP), está desenvolvendo um kit de diagnóstico de COVID-19 por RT-qPCR pelo método multiplex, em que todas as reações ocorrem em único tubo.


Segundo pesquisadores da empresa, o método possibilita não só realizar testes de RT-qPCR de uma amostra muito maior de pacientes de uma única vez como também barateá-los, uma vez que a quantidade de reagentes utilizados será menor. O projeto foi um dos seis primeiros selecionados em um edital lançado pelo PIPE-FAPESP em parceria com a Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), para apoiar o desenvolvimento de produtos, serviços ou processos criados por startups e pequenas empresas de base tecnológica no Estado de São Paulo, voltados ao combate da COVID-19. (...) (Fonte: Agência FAPESP)


18 visualizações

©2019 Todos os direitos reservados. Consultório 4.0