• Fábio Henrique Araújo

Saúde 4.0 News - edição #58

Resumo semanal de notícias sobre Tecnologia, Inovação e Gestão na Saúde 4.0






1) Pesquisadores desenvolvem sistema para identificar insuficiência respiratória pela voz


Além da temperatura, da oxigenação no sangue e da frequência cardíaca, a voz pode se tornar um parâmetro para ajudar a identificar mais rapidamente pacientes com suspeita de COVID-19.


Por meio da análise da fala, pesquisadores apoiados pela FAPESP pretendem detectar a insuficiência respiratória, um dos principais sintomas da doença. O projeto, batizado de Spira – sigla de Sistema de Detecção Precoce de Insuficiência Respiratória por meio de Análise de Áudio –, está sendo desenvolvido com apoio do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HC-FM-USP).(...) (Fonte: Agência FAPESP)



2) NBA vai usar anel inteligente para acompanhar saúde de atletas


Um anel inteligente pode ser utilizado pela NBA para monitorar a saúde dos atletas e rastrear sinais de COVID-19 no retorno da temporada, que deve acontecer no final de julho. De acordo com reportagem da imprensa americana, os jogadores estariam recebendo smart rings da Oura para acompanhamento de sinais como temperatura do corpo, funções respiratórias, batimentos cardíacos e padrões de sono.


A ideia é não apenas detectar possíveis contaminações entre os envolvidos na retomada, como também identificar problemas de saúde que possam levar os jogadores a contraírem o patógeno. Além disso, claro, as informações coletadas ajudarão nos treinamentos e demais compromissos relacionados ao físico dos atletas, com potencial de ampliar sua performance nas quadras por meio de acompanhamentos médicos mais especializados.(...) (Fonte: Canaltech)




3) Startup brasileira usa luz ultravioleta para desinfectar ônibus


A startup brasileira Sii Technology desenvolveu um sistema de desinfecção para o novo coronavírus usando luz ultravioleta do tipo C (UVC), que consegue esterilizar até mesmo o ar. A empresa está validando o método e faz os primeiros testes operacionais com a frota urbana de ônibus da cidade de Contagem, em Minas Gerais.


A tecnologia funciona através da exposição de ambientes possivelmente contaminados à luz UVC por alguns minutos. O professor Pedro Guatimosim Vidigal, da Faculdade de Medicina da UFMG, afirma que a luz UV do tipo C é efetiva para inativar diversos microrganismos, como bactérias, vírus e fungos. Apesar de poucos estudos comprovarem os efeitos da luz especificamente sobre o novo coronavírus, o professor diz que existem “fortes evidências” de que o Sars-Cov-2 também seja suscetível a esse tipo de procedimento, já que os outros coronavírus são. (...) (Fonte: Startupi)

9 visualizações

©2019 Todos os direitos reservados. Consultório 4.0