• Fábio Henrique Araújo

Saúde 4.0 News - edição #57

Resumo semanal de notícias sobre Tecnologia, Inovação e Gestão na Saúde 4.0






1) Startup paulista desenvolve tecido capaz de eliminar o novo coronavírus por contato


Pesquisadores da empresa paulista Nanox, apoiada pelo Programa FAPESP Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas (PIPE), desenvolveram um tecido com micropartículas de prata na superfície que demonstrou ser capaz de inativar o coronavírus SARS-CoV-2. Em testes de laboratório, o material foi capaz de eliminar 99,9% da quantidade do vírus após dois minutos de contato.


O desenvolvimento do material teve a colaboração de pesquisadores do Instituto de Ciências Biomédicas da Universidade de São Paulo (ICB-USP), da Universitat Jaume I, da Espanha, e do Centro de Desenvolvimento de Materiais Funcionais (CDMF) – um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPIDs) apoiados pela FAPESP. (...) (Fonte: Agência FAPESP)



2) Governo normatiza assinatura eletrônica de documentos públicos


O presidente Jair Bolsonaro editou medida provisória (MP) que estabelece critérios para assinatura eletrônica de documentos públicos, em substituição ao papel. A MP 983/2020 foi publicada hoje (17) no Diário Oficial da União e já está em vigor, mas ainda necessita de aprovação do Congresso Nacional para não perder a validade.


O documento prevê três tipos de assinatura, a simples, a avançada e a qualificada, baseadas no padrão europeu, que tem como parâmetros os níveis de risco da documentação, informação ou serviço específico que é assinado. Entretanto, ela não se aplica, por exemplo, a processos judiciais, à comunicação entre pessoas de direito privado, aos sistemas de ouvidoria de entes públicos e aos programas de assistência a vítimas e a testemunhas ameaçadas. (...) (Fonte: Agência Brasil)



3) Missão Covid abre atendimento virtual de saúde por WhatsApp para população indígena


Em parceria com a equipe de saúde indígena da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), o projeto Missão Covid passa a disponibilizar sua plataforma de atendimento médico a distância para indígenas. O serviço é gratuito e os 1,2 mil médicos voluntários credenciados na ferramenta estarão à disposição dos pacientes neste link.


A consulta é realizada por meio da telemedicina e ligações de vídeo e áudio pelo WhatsApp e, no caso das aldeias, será acompanhada por agentes de saúde locais, quando necessário. Inicialmente, o atendimento será disponibilizado para as aldeias Guarani do Rio de Janeiro e de São Paulo, aldeias Pataxó da Bahia e Fulni-ô de Pernambuco e para os indígenas que moram em contexto urbano em todo o País, que, segundo o Missão Covid está em cerca de 500 mil pessoas.(...) (Fonte: Mobile Time)

0 visualização

©2019 Todos os direitos reservados. Consultório 4.0