• Fábio Henrique Araújo

Saúde 4.0 News - edição #54

Resumo semanal de notícias sobre Tecnologia, Inovação e Gestão na Saúde 4.0






1) Pesquisadores desenvolvem tecido que pode matar o coronavírus usando campo elétrico


Um tecido para máscaras capaz de matar o novo coronavírus usando um campo elétrico. Essa foi a descoberta feita por cientistas da Universidade de Indiana. Em artigo publicado este mês, os pesquisadores afirmam que o tecido desenvolvido gera um campo elétrico fraco com baterias de microcélulas e é capaz de bloquear a proliferação do vírus.


A pesquisa faz parte de um campo ainda crescente de dispositivos médicos, conhecidos como "eletrocêuticos" ― uma fusão das palavras "eletrostático" e "farmacêutico". Os eletrocêuticos usam campos elétricos fracos e não prejudiciais aos seres humanos para tratar uma variedade de doenças. Os marcapassos, usados ​​no tratamento de arritmias, são um exemplo. (...) (Fonte: Época Negócios)



2) Médicos em Londres estão usando óculos de Realidade Estendida no combate a COVID-19


Médicos em hospitais de Londres estão usando fones de ouvido de realidade mista da Microsoft para reduzir a quantidade de funcionários que entram em contato com pacientes com COVID-19. Os fones de ouvido parecem um visor que circunda a cabeça e são equipados com sensores e uma câmera ao redor da faixa. Dentro da viseira há uma pequena tela onde são projetadas imagens holográficas para o usuário ver.


Dr. James Kinross, cirurgião e palestrante que usa o HoloLens há três anos, disse ao Business Insider como é trabalhar com o fone de ouvido como médico. "Uma das coisas que você pode fazer é fazer, por exemplo, uma digitalização ou uma imagem tirada de um raio-x. Você pode reconstruí-lo em três dimensões e projetar isso como um holograma no campo operacional, " ele disse. Os médicos podem mover e manipular imagens nas lentes usando as mãos, beliscando as imagens. (...) (Fonte: Business Insider)




3) Primeira paciente a receber plasma para tratar COVID-19 tem alta em SP


A primeira paciente a usar o plasma com anticorpos contra o novo coronavírus recebeu alta médica na tarde desta terça-feira (26). O material, colhido no Hemocentro de Ribeirão Preto (SP) desde 6 de abril, centro de referência em hemoterapia no estado de São Paulo, é usado em testes experimentais feitos pelo Hospital das Clínicas (HC) da cidade para tratar doentes em estado grave.


A paciente Aparecida Lourdes de Oliveira Ferreira Lima, de 65 anos, estava internada com a confirmação da Covid-19, em estado grave, desde o dia 15 de abril, no Hospital Estadual de Serrana (SP). Ela deixou o hospital nesta terça, ao lado do médico Pedro Garibaldi, responsável pelo atendimento da paciente, e do médico e pesquisador do plasma, Gil de Santos. (...) (Fonte: G1)



15 visualizações

©2019 Todos os direitos reservados. Consultório 4.0