• Fábio Henrique Araújo

Saúde 4.0 News - edição #51

Resumo semanal de notícias sobre Tecnologia, Inovação e Gestão na Saúde 4.0






1) SECTI investirá R$ 10 milhões em projetos de saúde digital para diagnosticar e tratar a Covid-19


Na próxima terça-feira (5), será assinada a ordem de serviço que dará início a uma parceria entre a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (SECTI), por meio da Fundação de Apoio à Pesquisa (FAP-DF), e a Fiocruz Brasília com o intuito de progredir com projetos de saúde digital no diagnóstico, tratamento e prevenção da Covid-19. O projeto terá um investimento de R$ 10 milhões.  A cerimônia de assinatura terá transmissão ao vivo pelo Twitter da Agência Brasília e Facebook do Governo do Distrito Federal.


O convênio faz parte das ações prioritárias do Governo do Distrito Federal (GDF) para acelerar o desenvolvimento de terapias e diagnósticos para combater não apenas a atual pandemia provocada pelo novo coronavírus, como também para incorporar a aplicação de novas tecnologias à estrutura permanente do sistema de saúde e minimizar danos de futuras emergências sanitárias. No âmbito do convênio, serão avaliadas e fomentadas soluções em saúde digital, projetos de inovação, serviços e produtos tecnológicos digitais (Artificial, Machine Learning, Realidade Virtual, BIG DATA, Blockchain, Wearables, dentre outras) que se enquadrem no enfrentamento da Covid-19 e das consequências da pandemia nas diversas áreas de conhecimento. (...) (Fonte: Jornal de Brasília)




2) Novo teste militar detecta Covid-19 antes que seja infecciosa


A Darpa, divisão de pesquisa militar dos Estados Unidos, anunciou o desenvolvimento de um novo teste para Covid-19 capaz de dizer se um paciente está contaminado em apenas 24 horas após a infecção, cerca de quatro dias antes que qualquer outro. Nesse período, a pessoa ainda não apresenta sintomas e não transmite o vírus.


Se funcionar conforme o esperado, o teste pode ter um papel extremamente importante na luta contra a Covid-19 e outras infecções, informando as pessoas que precisam de isolamento antes de começarem a espalhar o vírus. “O conceito preenche uma lacuna de diagnóstico em todo o mundo”, afirmou Brad Ringeisen, chefe do escritório de tecnologias biológicas da Darpa.


Ao invés de procurar pelo vírus, o teste identifica a resposta do sistema imunológico à doença. “Como a resposta imune à infecção se desenvolve imediatamente após a infecção, espera-se que uma assinatura Covid forneça um diagnóstico mais sensível da infecção mais cedo”, declarou o pesquisador Stuart Sealfon. O exame aguarda uma autorização de uso de emergência pela Food and Drug Administrarion (FDA), a qual pode sair até o fim desta semana. (Fonte: Olhar Digital)




3) Huami desenvolve máscara transparente e autolimpante


Dentre as recomendações das autoridades de saúde do mundo todo, está o uso de máscaras de proteção em locais públicos para evitar a disseminação do novo coronavírus. No entanto, quem não consegue deixar o celular de lado e usa o sistema de desbloqueio facial, pode encontrar dificuldades em utilizá-lo. Aparentemente, a empresa Huami, mais conhecida pelos wearables Amazfit, trabalha em uma solução para isso. A empresa criou um projeto de máscara transparente, com a mesma capacidade de proteção da N95, e que consegue se limpar sozinha.


Batizada de Amazfit Aeri, a máscara possui filtros de ar removíveis e tem emissores de luz ultravioleta embutidos. Ao conectá-la a uma fonte de energia USB-C por alguns minutos, ela pode se desinfetar após cada uso. Com essa tecnologia, cada filtro pode continuar eficiente por um mês e meio, de acordo com um porta-voz da Huami. Esse tempo é muito maior do que as oito horas de uso que a proteção das máscaras N95 oferecem. Além dessas funcionalidades, o destaque da proteção é que ela seria feita de material transparente e antiembaçante, que facilitaria que sistemas de desbloqueio facial, como o Face ID, funcionem corretamente. (...) (Fonte: Olhar Digital)

14 visualizações

©2019 Todos os direitos reservados. Consultório 4.0