• Fábio Henrique Araújo

Diagnóstico 4.0 News - edição #5

Resumo semanal de notícias sobre Radiologia, Diagnóstico por Imagem & Saúde 4.0




1) Novo exame de sangue identifica síndrome da fadiga crônica

Em breve, as pessoas que sofrem da síndrome da fadiga crônica podem receber uma grande notícia: a prova científica da sua doença. Pesquisadores da Escola de Medicina da Universidade de Stanford criaram um exame de sangue que pode sinalizar a presença da enfermidade, que atualmente necessita de um teste de diagnóstico padrão para ser atestada.


“Muitas vezes, essa doença é categorizada como imaginária. Quando os indivíduos com síndrome da fadiga crônica procuram ajuda médica, eles podem passar por uma série de testes que verifica as funções hepática, renal e cardíaca, assim como as contagens de células sanguíneas e imunológicas. Todos esses testes diferentes, normalmente, guiam o médico para uma doença ou outra, mas para pacientes com síndrome da fadiga crônica, os resultados sempre retornam ao normal”, explica Ron Davis, PhD, professor de bioquímica e genética da Escola de Medicina da Universidade de Stanford.


O problema é os médicos não estavam olhando o problema com a profundidade suficiente. Por esse motivo, o professor associado em Engenharia Genética do Departamento de Bioquímica do Stanford Medical School, Rahim Esfandyarpour, e seus colegas criaram um teste de sangue que identifica com sucesso os pacientes com a síndrome da fadiga crônica. (Fonte: PEBMED)


2) Cancro da próstata pode ser tratado com dose única de radiação


Uma única dose alta de radiação administrada em poucos minutos diretamente no tumor é uma técnica segura e eficaz no tratamento do cancro da próstata de baixo risco, indica estudo apresentado na conferência ESTRO 38 – European SocieTy for Radiotherapy & Oncology.


A radioterapia tradicional envolve uma série de tratamentos com doses baixas de radiação durante vários dias ou semanas. O novo tratamento designado por braquiterapia de alta taxa de dose que fornece radiação através de um conjunto de pequenos tubos.

Os investigadores indicam que a técnica pode oferecer um tratamento eficaz, o que é bom para os pacientes e além disso tem uma vantagem potencial para a economia, nomeadamente na redução dos custos hospitalares.


A investigação foi apresentada na ESTRO por Hannah Tharmalingam, do Centro de Cancro de Mount Vernon, em Northwood, e do The Christie NHS Foundation Trust, em Manchester, Reino Unido.

A investigadora referiu: “A braquiterapia, em que usamos cateteres temporários para tratar diretamente os tumores, já provou ser um bom tratamento para o cancro da próstata, ao matar as células do cancro como ao minimizar os efeitos colaterais”.


“Os pacientes fazem quatro a seis visitas ao hospital para uma série de tratamentos com doses mais baixas”, mas “queríamos ver se conseguiríamos resultados semelhantes, mas com apenas um tratamento com altas doses, economizando tempo ao paciente e ao hospital”, indicou Hannah Tharmalingam.(Fonte: TV Europa)


3) Diversas cidades do país realizam jornadas de Radiologia a partir deste mês

Nos dias 31 de maio e 1º de junho, durante manhã e tarde, o Centro de Eventos do Barra Shopping Sul sediará a XXIX Jornada Gaúcha de Radiologia – JGR2019, promovida pela Associação Gaúcha de Radiologia – AGR. O evento contará com diversas atividades apresentadas por médicos, enfermeiros, técnicos e demais profissionais especializados no assunto. As inscrições para participar do evento já estão abertas e podem ser realizadas no site www.jgr2019.com.br.


Também ocorrerá, de 31 de maio a 2 de junho, a II Jornada Goiás-Brasília de Radiologia – Clube do Interior, na cidade de Pirenópolis, em Goiás. O evento é promovido pelas Sociedades de Radiologia de Goiás e Brasília. Mais informações estarão disponíveis em breve no site www.sgor.org.br Em junho, nos dias 14 e 15, será a vez da XXI Jornada Pernambucana de Radiologia e o XXIX Curso de Diagnóstico por Imagem da Mama. O evento será no JCPM Trade Center, em Recife, e terá renomados professores nacionais e internacionais.


Já no Sul do país, a Sociedade de Radiologia e Diagnóstico por Imagem do Paraná convida a todos para participarem da 12ª Jornada Paranaense de Radiologia, que terá como temática a Imagem da Mulher. A Jornada será realizada entre os dias 28 a 30 de junho, na capital paranaense, Curitiba, e a principal novidade para o evento é a presença de um convidado internacional: Dr. Anthony Thomas Stavros (EUA), professor adjunto do Departamento de Radiologia da University of Texas Health Sciences Center e um dos precursores na elaboração do BI-RADS®. O Livro “Breast Ultrasound” é de sua autoria e é utilizado como referência quando o assunto é Ultrassonografia mamária. Além disso, a 12ª Jornada Paranaense de Radiologia contará com cursos Hands-on nas áreas de elastografia, Ultrassonografia da tireóide e biópsia de mama. (Fonte: CBR)


4) Laboratório de medicina diagnóstica pode contratar médicos como pessoa jurídica

Laboratórios de medicina diagnóstica podem contratar médicos como pessoa jurídica. Com esse entendimento, a 3ª Turma do Tribunal Superior do Trabalho desobrigou um laboratório de contratar médicos na condição de empregados a partir da Lei da Terceirização (13.429/2017) e da Reforma Trabalhista (Lei 13.467/2017), mantendo o reconhecimento do vínculo de emprego apenas dos médicos que efetivamente trabalhavam de forma subordinada antes da vigência das leis.


O processo é uma ação civil pública ajuizada pelo Ministério Público do Trabalho relativa à terceirização da contratação de 1.400 médicos especializados para atuar em todas as unidades da empresa no Estado do Rio de Janeiro. O Tribunal Regional do Trabalho da 1ª Região (RJ) entendeu que se tratava de “pejotização”, em que o trabalhador constitui pessoa jurídica para prestar serviços à empresa mas, na prática, tem perfil de empregado.


Com essa conclusão, o TRT determinou que o laboratório se abstivesse de contratar novos médicos por meio de pessoa jurídica. Condenou-o ainda ao pagamento de indenização por dano moral coletivo no valor de R$ 3 milhões, a ser revertida a instituições públicas de saúde para apoio e tratamento de vítimas de acidente de trabalho ou de doenças profissionais, e fixou a multa diária de R$ 5 mil por trabalhador em situação irregular. (Fonte: ConJur)


5) Inteligência artificial do Google sabe quando você vai morrer

Uma inteligência artificial (AI) com tecnologia do Google pode determinar quando os pacientes do hospital morrerão com uma precisão de cerca de 95%. A oportunidade de aprender quanto tempo você pode ter sobrando nesta vida certamente não é para todos, mas para os médicos que cuidam de pacientes hospitalares, uma previsão da mortalidade de alguém pode oferecer benefícios que vão desde melhores cuidados ao final da vida até garantir que entes queridos sejam. informado com antecedência.


Na vanguarda dessa tecnologia está a inteligência artificial do Google Brain, que determina quanto tempo um paciente ainda tem para viver, analisando cada detalhe de seu histórico médico. Em um estudo recente, o algoritmo preditivo do sistema tentou determinar quando os pacientes morreriam em dois hospitais separados – alcançando taxas impressionantes de precisão de 93 e 95%.

“Isso foi significativamente mais preciso do que o modelo preditivo tradicional”, escreveram os pesquisadores. “Esses modelos superaram os modelos preditivos tradicionais e usados ​​clinicamente em todos os casos”.


“Acreditamos que essa abordagem pode ser usada para criar previsões precisas e escalonáveis ​​para uma variedade de cenários clínicos”.

Embora a tecnologia seja, sem dúvida, impressionante, algumas pessoas levantaram preocupações com a privacidade em relação ao acesso do sistema a informações pessoais.

Em 2013, por exemplo, o DeepMind do Google teve acesso aos registros médicos de 1,6 milhão de pacientes do NHS. Certamente não está fora dos limites da possibilidade de que, num futuro não muito distante, a AI do Google e outros como ela saibam mais sobre nós do que sabemos sobre nós mesmos. (Fonte: Google Discovery)

©2019 Todos os direitos reservados. Consultório 4.0