• Fábio Henrique Araújo

Diagnóstico 4.0 News - edição #3

Atualizado: 6 de Mai de 2019

Resumo semanal de notícias sobre Radiologia, Diagnóstico por Imagem & Saúde 4.0




1) Sobe o número de câncer de mama em mulheres com menos de 30 anos


A incidência de câncer de mama em mulheres com menos de 35 anos, subiu e está entre 4% e 5% dos casos, de acordo com a Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM). Historicamente, apenas 2% dos casos eram registrados em mulheres mais jovens.

A doença é mais comum em mulheres com mais de 50 anos e, cerca de 60 mil brasileiras são diagnosticadas com câncer de mama todos os anos.

Ainda segundo a SBM, hábitos como a má alimentação, gestação tardia e menor número de filhos pode influenciar para que os tumores apareçam mais cedo. O índice subiu em diversos países em desenvolvimento.


Recentemente o Colégio Brasileiro de Radiologia (CBR), a Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM) e a Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (FEBRASGO) divulgaram uma nota esclarecendo sobre a mamografia. A atitude foi adotada após um vídeo com informações falsas circular na internet.

"Citação de absurdos como “uma biópsia leva a desenvolver câncer” foge à compreensão de qualquer médico com o mínimo de conhecimento na área oncológica", diz um trecho da publicação.


De acordo com a médica radiologista da clínica Imax, Cristiane Spadoni, a melhor forma de se prevenir da doença é realizando os exames preventivos. “Enquanto mais cedo o câncer é descoberto maior são as chances de cura e menos agressivo é o tratamento”, alertou.

A mamografia é indicada anualmente, para mulheres com mais de 40 anos. “As mais jovens, podem realizar a ultrassom na mamas, que também é capaz de identificar alguma irregularidade. O ideal é sempre consultar a sua ginecologista, que vai avaliar o histórico familiar e possíveis sintomas. Se necessário, pode ser solicitado uma mamografia precoce”, explicou Cristiane.


O exame mais indicado é a tomossíntese, já que é uma evolução tecnológica da mamografia. “A técnica facilita a avaliação das características benignas ou malignas das mamas, torna a indicação de biópsias mais precisa, reduz a necessidade de exames complementares e têm baixas doses de radiação”.(Fonte: Notícias Ao Minuto)


2) Iniciativa latino-americana pela conscientização de dose em exames radiológicos participa de evento em São Paulo


A iniciativa Latin Safe, que visa promover a proteção radiológica dos pacientes na América Latina e contribuir para aumentar a conscientização sobre a sua importância entre os radiologistas, médicos prescritores, técnicos, pacientes e população em geral, participará da 49ª Jornada Paulista de Radiologia (JPR 2019), de 2 a 5 de maio, no Transamerica Expo Center, na zona sul de São Paulo.


Inspirada em campanhas como Image Gently e Image Wisely, entre outras, o objetivo do Latin Safe é promover a proteção radiológica dos pacientes na América Latina seguindo as ideias propostas pelo "Bonn Call to Action".

A iniciativa estará no evento com diversas aulas nas grades da JPR, da 1ª Jornada de Radiologia Intervencionista (evento simultâneo), além dos módulos Cardiovascular, Mama, Profissionalismo, Pediatria e Física em Radiodiagnóstico, entre outros. Também contará com um estande, distribuindo material informativo sobre seus trabalhos.(Fonte: Terra)


3) FDG PET / CT pode monitorar a eficácia da imunoterapia em pacientes com melanoma


De acordo com as novas descobertas publicadas no Journal of the Nuclear Medicine, a PET/TC de 18F-FDG, pode ajudar os profissionais no monitoramento da eficácia da imunoterapia com oipilimumabe em pacientes com melanoma metastático.

“Terapia com inibidor da Checkpoint é agora uma terapia padrão para o melanoma metastático”, declarou o co-autor do estudo Wolfgang A. Weber, MD, da Universidade Técnica de Munique, em Munique, Alemanha, e anteriormente da Memorial Sloan Kettering Cancer Center de Nova York, acrescentando que "no entanto, houve preocupações sobre se FDG PET / CT poderia ser usado para monitorar a resposta do tumor a esta imunoterapia, porque as reações inflamatórias à imunoterapia podem causar resultados falso-positivos. O presente estudo mostra que a resposta do tumor à terapia com o inibidor do ponto de checagem com ipilimumabe pode ser avaliada com precisão pelo FDG PET após a conclusão da terapia com ipilimumabe. ”


Em comparação com a quimioterapia, a terapia com ipilimumab foi encontrada para melhorar a sobrevida de 15-20% dos pacientes com melanoma metastático. Avaliar quando um paciente está respondendo ao ipilimumabe, no entanto, pode ser um desafio.

Weber e seus colegas estudaram 60 pacientes com melanoma metastático antes e depois do tratamento, usando FDG PET / CT para medir sua resposta. A equipe descobriu que a avaliação da resposta do tumor usando os Critérios de Resposta Tomográfica por Emissão de Positrons em Tumores Sólidos (PERCIST) estava associada à sobrevida global do paciente.

"FDG PET / CT é rotineiramente usado para o estágio de melanoma", disse Weber na mesma declaração. "O presente estudo sugere que também pode ser usado para monitorar a resposta do tumor à terapia com ipilimumab e prever o resultado". (Fonte: Interação Diagnóstica)


4) CFM apresenta novo Código de Ética ao presidente da República

A diretoria do Conselho Federal de Medicina (CFM) apresentou ao presidente da República, Jair Bolsonaro, e ao ministro da Saúde, Henrique Mandetta, o novo Código de Ética Médica (CEM), detalhado na Resolução nº 2.217/2018 e que entra vigor no próximo dia 30 de abril. O encontro foi realizado no dia 16 de abril e, na ocasião, os representantes da autarquia apresentaram uma pauta com quatro itens de reivindicações da categoria.


Da lista apresentada fazem parte: a criação da carreira de Estado para médicos na rede pública (SUS); e a definição do Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos (Revalida), por meio de lei federal, como única forma de acesso dos portadores de diplomas de Medicina obtidos no exterior ao mercado brasileiro.


Os médicos pediram ainda o reconhecimento do Sistema de Acreditação de Escolas Médicas (Saeme), do CFM, como plataforma oficial de avaliação de cursos de medicina no País; e a atualização do Decreto Presidencial nº 44.054/1958, que regulamenta a Lei nº 3.268/1957, em função de legislações e práticas vigentes. (Fonte: CBR)


5) OMS divulga primeira diretriz sobre intervenções de saúde digital


A Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgou na quarta-feira (17) dez recomendações sobre como os países podem usar a tecnologia acessível via celulares, tablets e computadores para melhorar a saúde das pessoas e os serviços essenciais.

Nos últimos dois anos, a OMS revisou sistematicamente as evidências sobre tecnologias digitais e consultou especialistas de todo o mundo para produzir recomendações sobre formas de utilizá-las para maximizar o impacto nos sistemas de saúde e na saúde das populações.


A diretriz traz recomendações sobre a telemedicina, que permite às pessoas que vivem em locais remotos obter serviços de saúde usando telefones celulares, sites ou outras ferramentas digitais. A OMS ressalta que este é um complemento valioso para as interações cara a cara, mas não pode substituí-las completamente. Também é importante que as consultas sejam conduzidas por profissionais de saúde qualificados e que a privacidade das informações de saúde dos indivíduos seja mantida. (Fonte: Nações Unidas)

0 visualização

©2019 Todos os direitos reservados. Consultório 4.0