• Fábio Henrique Araújo

03 dicas para se preparar para o futuro do trabalho na Saúde




Embora seja fruto de ficção científica, o personagem Logan, vivido por Hugh Jackman no filme homônimo de 2017, usa uma frase no filme extremante real: "O mundo não é mais o mesmo, Charles". A quarta revolução industrial trouxe consigo mudanças abruptas na forma de nos relacionarmos, consumirmos e produzirmos.


Na era da indústria inteligente, através de tecnologias como Inteligência Artificial, Internet das Coisas e Computação em Nuvem, máquinas e sistemas se comunicam de forma síncrona e em tempo real, trazendo novos paradigmas à atuação humana nos processos produtivos. Segundo pesquisa realizada pelo COPPE/UFRJ, 70% das vagas abertas desde 2003 correm o risco de serem perdidas por conta da automação. Praticamente todas as profissões estão em risco, principalmente as com baixa especialização.


Neste cenário, as habilidades técnicas - também conhecidas como hardskills - exigidas pelo mercado de trabalho não serão mais as mesmas que estamos acostumados (e que fomos ensinados nas escolas e faculdades). Competências como pensamento crítico, tomada de decisões complexas baseadas em dados e tech-savviness passam a encabeçar a lista de habilidades técnicas esperadas pelos recrutadores. Por outro lado, as softskills - habilidades comportamentais e sociais - passam a ter lugar de destaque num cenário de grande automação de processos. Estamos falando de flexibilidade, criatividade, inteligência emocional, dentre outras.


Mas porque o cenário futuro é tão preocupante? Porque tantos empregos estão em risco?


A resposta está na forma e no conteúdo do que é ensinado hoje nas escolas e faculdades. Pouco mudou ao longo dos últimos 20 ou 30 anos na metodologia como as instituições de ensino preparam os jovens para a vida e para o mercado de trabalho. Segundo pesquisadores da ONU, 65% das crianças irão trabalhar em profissões que ainda nem existem. Por outro lado, como já mostrei acima, boa parte das vagas existentes hoje irão desaparecer.


É importante deixar claro que essas novas tecnologias não são o fim, mas sim o meio. IA, IoT, Cloud Computing, Blochchain, Impressão 3D nada mais são do que uma resposta a mudança de comportamento da sociedade. O cerne da questão é entender tais mudanças e como as tecnologias podem potencializar a entrega de soluções para esses novos anseios. Por isso, tão importante quanto ter familiaridade com estas novas tecnologias, é entender para onde a sociedade está caminhando.


E na saúde? Isso se aplica?


Sem dúvidas! Na verdade, a saúde é uma das áreas que sofrerá as maiores disrupções quando se fala em transformação digital. Boa parte das atividades que hoje ainda são feitas por humanos - principalmente fora dos grandes centros - serão automatizadas. A forma como médicos, enfermeiros, dentistas e tantos outros profissionais da saúde trabalham irá mudar bruscamente com o advento da era pós-digital. Diagnóstico de imagens médicas, coleta de sangue, operação de máquinas e dispositivos médicos e o próprio atendimento médico serão automatizados e/ou diretamente influenciados pelas novas tecnologias entrantes.


Para os profissionais de saúde será cada vez mais crucial entender como agregar valor no processo de atenção ao paciente (leia-se cliente). Separei 3 dicas que acredito irão ajudar neste processo de ressignificação de quem atua no mercado saúde:



1) Estude a transformação digital na saúde

Entender a dinâmica da nova economia digital será preponderante para os profissionais da saúde. De onde viemos, onde estamos, para onde vamos e quais tecnologias irão permear este caminho são questões que devem estar constantemente em pauta. A transformação na saúde está só começando e embora estejamos um tanto quanto atrasados, no médio e longo prazo, quem inciar essa mudança hoje conseguirá acompanhar o ritmo da nova era 4.0.


2) Estude o novo perfil de profissional que o mercado espera

Conhecer e dominar as habilidades técnicas, comportamentais e sociais mais cobiçadas irá te colocar num lugar privilegiado neste novo mercado altamente concorrido. Não irão faltar oportunidades de trabalho e negócios, mas se continuarmos neste mesmo ritmo de transformação (me refiro tanto ao mercado saúde, quanto ao de edução no Brasil), com certeza irão faltar profissionais aptos a assumir esses novos desafios.


3) Não dependa somente das oportunidades abertas no mercado

"A melhor maneira de prever o futuro é criá-lo". Essa frase de Peter Drucker, pai da gestão contemporânea, nunca foi tão válida. O futuro do trabalho passa pelas novas formas como entregamos valor. O modelo de emprego tradicional está em declínio e deve minguar ainda mais nos próximos anos. Relações de trabalho flexíveis e a terceirização darão lugar ao labor de carteira assinada com valores, locais e horário pré-definidos. Neste cenário, o profissional de saúde do futuro precisará entender de gestão e empreendedorismo para poder assumir as rédeas da própria carreira.


Mas como estar preparado para tantas mudanças tendo um mercado de educação ainda tão tradicional?


Como já citei neste artigo, as escolas e faculdades não preparam o profissional de saúde para este mundo VUCA (acrônimo em inglês para volátil, incerto, complexo e ambíguo). Tenho observado algumas iniciativas no âmbito das especializações. Algumas escolas já estão abordando essas temáticas em seus cursos de pós-graduação. No entanto, o impacto disso na sociedade em geral é muito restrito. No Brasil, apenas uma a cada 2 mil pessoas está cursando pós-graduação atualmente.


Outro caminho, este muito mais acessível, é a educação complementar. Através de cursos presenciais e online, profissionais das mais variadas áreas têm buscado preencher essas lacunas deixadas pela educação tradicional.


Observando essa tendência e percebendo a carência de tais cursos na área de saúde, resolvi dar minha contribuição. Estou lançando o curso online Profissional da Saúde 4.0.


Um curso extremamente acessível a todos os profissionais de saúde desde médicos, dentistas, fisioterapeutas até enfermeiros, farmacêuticos ou técnicos de radiologia. Profissionais de mercado ou mesmo estudantes que querem garantir seu lugar no mercado da saúde. Neste curso, irei abordar um pouco de todos os temas que citei neste artigo. A ideia é prover os profissionais da saúde em geral com conhecimentos básicos e intermediários sobre transformação digital, gestão de negócios na saúde e habilidades do futuro.


Caso tenha se interessado, este é o link do curso. Para quem veio até aqui no final do artigo comigo darei uma recompensa, use o código BLOG10 no check-out e obtenha 10% de desconto no valor do curso.


Espero vê-los lá na plataforma para podermos aprofundar ainda mais essa discussão iniciada aqui.


Abraços e até mais ver!

0 visualização

©2019 Todos os direitos reservados. Consultório 4.0